h1

Análise Literária.

junho 17, 2009

No ano de mil novecentos e cinqüenta e seis, Cecília Meireles lançou um livro de nome Canções. Um livro de poemas elaborados com alguns aspectos já absorvidos da influencia modernista.

É de Cecília Meireles o próximo texto de análise literária.

Canção

Assim moro em meu sonho:
Como um peixe no mar.
O que sou é o que vejo.
Vejo e sou o meu olhar.

Água é o meu próprio corpo,
Simplesmente mais denso.
E meu corpo é minha alma,
E o que sinto é o que penso

Assim vou no meu sonho,
Se outra fui, se perdeu.
É o mundo que me envolve?
Ou sou contorno seu?

Não é noite nem dia,
Não é morte nem vida:
É viagem noutro mapa,
Sem volta nem partida.

O céu da liberdade,
Por onde o coração
Já nem sofre, sabendo
Que bateu sempre em vão.

Cecília Meireles

 

O poema integra o livro Canções, de mil novecentos e cinqüenta e seis, onde a maioria dos textos era composta de versos de cinco sílabas.
Observando as estrofes, estamos diante de uma composição disposta em quadras num esquema rítmico 6(3-6), conforme os versos abaixo:

As – sim – MO – ro em – meu – SO (nho) E.R. 6(3-6)
1      2        3        4             5        6      

Co – mo um – PEI – xe – no – MAR E.R. 6(3-6)
1         2              3      4       5     6   

Quanto à métrica estamos diante de um hexassílabo isométrico ou heróico quebrado, constituído de dois anapestos. 

Explico: Versos de seis sílabas poéticas, tônicas nas posições três e seis.

Adiante no poema constataremos variação na acentuação nos versos cinco, quinze e dezesseis; que será analisado quanto à constituição da tensão rítmica, um dado importante e raramente considerado.

Como a classificação dada ao metro sugere, entendo que estamos diante de um ritmo clássico, que proporciona uma apreciação fluente possibilitando o estabelecimento de tensão rítmica nas variações aplicadas no poema.

A construção da pauta rítmica é importante neste poema, pois ele realiza funções sintáticas e semânticas nas anotações variáveis do ritmo, o que tornará a leitura uma relação de aproximação com a proposta do autor.

 

 

LEVANTAMENTO DAS CONSOANTES

nasais (sonoras)

/m/ oclusiva nasal: 16

/n/ linguodental nasal: 10

/nh/ nasal palatal: 03

fricativas (surdas)

/s/  16

/ss/ 02

/c/ 01

/ç/ 02

oclusivas (surdas)

/p/ 10

/t/ 09

/k/  11

/f/ 02

/x/ 01

oclusivas (sonoras)

/b/ 02 dois últimos versos da última estrofe

/d/ 09

/g/ 01

fricativas (sonoras)

/v/ 09

/j/ 03

laterais

/l/ 01

/lh/ 01

vibrantes

/r/ 15

RESUMO DOS ASPECTOS SELECIONADOS

CONSOANTES SONORAS:

nasais, vibrantes, laterais e outras = 70

nasais = 29 (quase a metade)

CONSOANTES SURDAS:

oclusivas e fricativas = 54

CONSOANTES INTERCALADAS:

próprio – v. 5
simplesmente – v. 6
outra – v. 10
sofre – v. 19
sempre – v. 20

LEVANTAMENTO DAS VOGAIS

VOGAIS NASAIS: 27

VOGAIS ORAIS: 139

DITONGOS ORAIS: 24

DITONGOS NASAIS: 04

Obs: Algumas consoantes estão mais concentradas em algumas estrofes, mas o que mais se destaca, e que está presente em todo o poema, é a nasalização.

LEVANTAMENTO DAS RIMAS

CONSOANTES:

1ª estrofe:

mar/olhar

2ª estrofe

denso/penso

3ª estrofe

perdeu/seu

4ª estrofe

vida/partida

5ª estrofe

coração/vão

TOANTES: não há

Obs: As rimas não estão ausentes. Destaca-se no poema, em todo o seu conjunto, a repetição das palavras de um verso no que se lhe segue.

Destaca-se, em relação às rimas (em final de verso), uma alternância entre paroxítonas e oxítonas.

sonho/mar/vejo/olhar

corpo/denso/alma/penso

sonho/perdeu/envolve/seu

dia/vida/mapa/partida

liberdade/coração/sabendo/vão

UMA FORMA DE COLHER MAIS ELEMENTOS PODE SER
O LEVANTAMENTO POR ESTROFES

Estrofe I

Assim moro em meu sonho:
Como um peixe no mar.
O que sou é o que vejo.
Vejo e sou o meu olhar.

Vogais:35
Consoantes: 24
Nasais: 7

Consoantes

Fricativas surdas: 4
Oclusivas surdas: 5

Nasal palatal: 1
Linguodental nasal: 1
Oclusivas nasais:5
Fricativas sonoras: 4
Laterais vibrantes: 3

Lateral: 1

Vogais:35

Ditongos orais: 5

Vogais orais:31
Vogais nasais: 4

Estrofe II

Água é o meu próprio corpo,
Simplesmente mais denso.
E meu corpo é minha alma,
E o que sinto é o que penso

Consoantes: 32
Nasais: 7

Consoantes

Fricativas surdas: 6
Oclusivas surdas: 9

Nasal palatal: 1
Linguodental nasal: 0
Oclusivas nasais: 6
Fricativas sonoras: 0
Oclusivas sonoras: 2
Laterais vibrantes: 4

Lateral: 0

Vogais: 41

Ditongos orais: 5

Vogais orais:36
Vogais nasais: 5

Consoantes intercaladas: 3

Estrofe III

Assim vou no meu sonho,
Se outra fui, se perdeu.
É o mundo que me envolve?
Ou sou contorno seu?

Consoantes: 25
Nasais: 6

Consoantes

Fricativas surdas: 6
Oclusivas surdas: 5

Nasal palatal: 1
Linguodental nasal: 2
Oclusivas nasais: 3
Fricativas sonoras: 3
Oclusivas sonoras: 2
Laterais vibrantes: 2

Lateral: 0

Vogais: 38

Ditongos orais: 6

Vogais orais:33
Vogais nasais: 5

Consoantes intercaladas: 1

Estrofe IV

Não é noite nem dia,
Não é morte nem vida:
É viagem sem mapa,
Sem volta nem partida.

Consoantes: 24
Nasais: 7

Consoantes

Fricativas surdas: 2
Oclusivas surdas: 6

Nasal palatal: 0
Linguodental nasal: 6
Oclusivas nasais: 2
Fricativas sonoras: 4
Oclusivas sonoras: 3
Laterais vibrantes: 2

Lateral: 0

Vogais: 32

Ditongos orais: 2
Ditongos nasais: 2
Hiatos: 2

Vogais orais:22
Vogais nasais: 10

Consoantes intercaladas: 0

Estrofe V

O céu da liberdade,
Por onde o coração
Já nem sofre, sabendo
Que bateu sempre em vão.

Consoantes: 28
Nasais: 1

Consoantes

Fricativas surdas: 5
Oclusivas surdas: 5

Nasal palatal: 0
Linguodental nasal: 1
Oclusivas nasais: 0
Fricativas sonoras: 2
Oclusivas sonoras: 5
Laterais vibrantes: 5

Lateral: 1

Vogais: 32

Ditongos orais: 2
Ditongos nasais: 2

Vogais orais: 22
Vogais nasais: 10

Consoantes intercaladas: 2

Eventos que envolvem maiores obstáculos à passagem do ar no momento da emissão: as consoantes oclusivas bilabiais; as fricativas labiodentais; a ocorrência de uma consoante intercalada.

A esse aspecto podem estar associados conteúdos semânticos indicadores de conflitos; podem também servir para evidenciar determinado conteúdo semântico, isolado ou paralelamente a outra ocorrência.

A repetição de palavras de um verso no verso subseqüente, gera uma reiteração dos sons, um prolongamento do efeito associado, quer a uma reiteração do conteúdo semântico, quer à introdução de uma idéia contrária.

À presença de fonemas que envolvam menores obstáculos pode ser associada a idéia de fluidez. Quanto mais acomodada é a posição dos órgãos do aparelho fonador para a emissão de um som, melhor flui a leitura (embora algumas opções gerem monotonia).

A emissão de vogais nasaladas representa uma posição muito cômoda para os órgãos do aparelho fonador.

Considerando a primeira estrofe, é possível constatar a ocorrência de aliteração em S e M; assonância em O e a flagrante nasalização nas vogais nos dois primeiros versos.

A semelhança se estende do parentesco sonoro à construção: o verso um é ligado ao verso dois pela pontuação, os dois pontos estabelecem o início de uma comparação que apresenta o comparante no segundo verso, completando esta primeira idéia.

Considerando a relação semântica entre os dois primeiros versos, a comparação que relaciona os dois versos estabelece a seguinte imagem: o sonho esta para o poeta o que o mar representa para o peixe.

Este dado ratifica as opções construídas no nível semântico e estabelece uma identidade para o poema.

O verso um traz ainda o pronome possessivo “meu” e a primeira pessoa verbal “moro”, que confere um tom pessoal a canção.

O verso três reitera a identidade de construção, pois suas duas metades têm a mesma sintaxe:

               “o que sou e o que vejo”

O verbo “é”, de ligação, coloca no mesmo plano sujeito e predicativo; logo ser e ver tem uma identidade comum, na seqüência o verso quatro confirma esta identidade:

                “vejo e sou meu olhar”

A rima do segundo com o quarto verso, através da aproximação sonora sugere significados e associações:

Mar – água, reflexo do céu, transparência e profundidade;

Olhar – contemplação, reflexo do mundo exterior;

Olhos – Transparência do mundo interior.

Sonho – Sugere mergulho no inconsciente, devaneio, desejo e reflexão.

Devemos anotar as relações sensoriais, como elemento sinestésico:

Mar – Frio e molhado;

Matizes – O verde e azul característicos do mar;

Som – Marulho

Gustação – O sal marinho.

Esta estrofe associa sonho e contemplação, alinha elementos do mundo exterior com as reflexões em curso no íntimo do poeta.

Seguindo para a segunda estrofe identificaremos a ocorrência de tensão rítmica, dupla possibilidades de acentuação do verso vejam:

á – gua é o – MEU – pró – prio – COR – (pó)  E.R. 6(3-6)
1     2              3      4       5        6

Á – gua é o – meu – PRÓ – prio – COR – (pó) E.R. 6(1-4-6)
1     2              3     4         5       6

Esta ocorrência exige uma atenção especial a este verso, a fusão de água com o corpo do poeta. Revela-se que o ambiente do poeta, o “mar” do poeta, é o sonho.

A referencia de “água” no quarteto anterior estabelece uma relação entre ‘mar’ e ‘olhar’. Reaparecem todas as associações da estrofe anterior, e corpo também é água dispensando a analogia entre sonho e peixe.

Os versos seis, sete e oito, apresentam o mesmo esquema rítmico da primeira estrofe:

“sim – ples – MEN – te – mais – DEN (so)”  E.R. 6(3-6)
  1        2         3           4     5         6

“e – meu – COR – pó é – mi – NHA AL(ma)”  E.R. 6(3-6)
  1    2          3       4      5      6

“e o – que – SIN – to é o – que  – PEN(so)” E.R. 6(3-6)
   1       2        3     4          5        6

Surgem nestes versos algumas antíteses, que valem a anotação: corpo/alma e sinto/penso.

A palavra “corpo” faz rima toante com “sonho”, do verso um, “alma” faz rima toante com “água”, do verso dois; “penso” tem a mesma vogal anasalada de “denso”, criando uma identidade fônica por associação.

                 Corpo = Sonho

                Alma = Água = Mar;

Observando a relação sintática dos versos, vê-se a mesma construção:
 
               “Água é o meu próprio corpo” (v.5)

               “E meu corpo é minha alma” (v.7)

                 Uma nova relação sintática:

                 Água = corpo
                 Corpo = alma;

                 Ainda:

                “o que sou é o que vejo” (v.3)

                “e o que sinto é o que penso” (v.8)

                 Um paralelismo sintático,

                 O que (sou/sinto) é  o que (vejo/penso)

                 Apresenta-se a oposição
                 Corpo X Alma
                 Sinto X Penso.

                 Que se desenvolverá a seguir.

 Assim vou no meu sonho
                 Se outra fui, se perdeu.
                 É o mundo que me envolve?
                 Ou sou contorno seu?

A terceira estrofe repete o esquema rítmico predominante no poema, sem exceção e ainda conserva a estrutura sintática e semântica das outras duas estrofes.

O verso inicial da estrofe (v.9) faz eco ao verso um conserva sua estrutura alterando apenas o verbo: troca “moro” por “vou”, com rima toante entre os dois termos.  O efeito desta troca é a circunstancia de passividade contida em “morar”, ganhando dinâmica com a idéia de transporte “vou”.

Cabe questionar: vou no X vou ao; apresenta-se neste caso uma licença?

Se – outra – FUI;
Se – per – DEU.

Dividido o verso verificamos identidade sonora em “se”, porém cada um deles com sentido próprio: conjunção condicional e pronome pessoal; diferença semântica e diferença sintática. Esta circunstancia registra o surgimento de tensão no duplo sentido.

Os versos onze e doze apontam a fusão do poeta com o mundo, à ambigüidade se apresenta na indeterminação pela interrogação. Este questionamento reporta a um mergulho e a busca de uma situação diante do mundo a que pertence o poeta e o poeta que faz parte deste mesmo mundo.

A oposição  nos dois últimos versos da estrofe gera uma nova tensão reforçando a incerteza do poeta.

Os versos ímpares registram rimas toantes em O, como nas estrofes anteriores. O corpo envolve as pessoas, almas; como o mundo ao poeta, o poeta integra o sonho, como contorno do mundo.

Pela rima toante, reaparece a ligação entre mundo interior e exterior, numa relação direta – corpo, envolve- retomando a metáfora da água, reflexo e a correspondência entre os contrários.

Vejamos a quarta estrofe e seu esquema rítmico:

                13. Não é noite nem dia, E.R. 6(3-6)
                14. não é morte nem vida: E.R. 6(3-6)
                15. é viagem noutro mapa, E.R. 6(2-4-6)
                16. sem volta nem partida. E.R. 6(2-4-6)

Os dois primeiros versos conservam o esquema rítmico predominante, enquanto os outros dois alteram a leitura rítmica em paralelo com a derivação da atmosfera.

Os versos treze e quatorze apresentam sua construção estabelecida em dupla negativa:

                Não é (noite/morte) nem (dia/vida)

Ficam claramente definidas as associações e comparações entre os termos. Há a oposição direta noite X dia e vida X morte, relaciona-se também a identidade fônica: noite = morte e dia = vida. Estes dois versos estabelecem uma tensão que rompe com a noção de existência e tempo; fora do dia ou da noite, fora da morte ou da vida, fora do tempo.

Os dois versos seguintes propõem esta ruptura relacionada ao espaço.

                  “é viagem noutro mapa,
                    sem volta nem partida.”

Estabelecida a relação de anespacialidade, paralelamente o autor constrói um novo metro, rompendo o esquema rítmico dentro da progressão do poema.

                Vejamos o que nos reserva a última estrofe:

                      17. O céu da liberdade, E.R. 6(2-4-6)
                      18. por onde o coração E.R. 6(2-4-6)
                      19. já nem sofre, sabendo E.R. 6(3-6)
                      20. que bateu sempre em vão E.R. 6(3-6)

São dois esquemas rítmicos que se justificam na abordagem semântica, coerente com as opções do poeta até aqui.

 

A anespacialidade e a atemporalidade contida na penúltima estrofe desembocam nos dois primeiros versos da estrofe seguinte, com um emblemático “céu da liberdade” proclama uma evasão, um recolhimento que, paradoxalmente, representa a libertação. Em liberdade, o coração não sofre mais nem bate em vão.

A estrofe funciona como um elemento coeso, apesar da diferenciação no ritmo, por conta da tensão poética obtida na estrofe anterior, os dois últimos versos relacionam o poeta com o mundo e a sua materialidade, sua relação com o exterior, seus sofrimentos.

Toda a estrofe final é um único período: trata-se da causa da evasão: o choque com o mundo real. Ante tal motivo, enriquece-se a contemplação. Por outro lado, a alusão ao mundo real resulta em comunhão com ele, já anunciada desde a metáfora do mar e da água.

O reflexo e a correspondência adquirem profundidade, unindo num todo o poeta e o mundo.

Pesquisa sobre o vocabulário empregado.

 

assim                                                                         

adv.

1. Deste (daquele ou desse) modo.

2. Do mesmo modo.

conj.

3. Logo; porém.

Ainda assim: contudo.

Assim seja: amém; oxalá.

Como assim: que me diz? Por quê?

 

como

conj.

1. Do mesmo modo que.

2. Quando.

3. Logo que.

4. Visto que.

5. Se.

6. Uma vez que.

7. Segundo, conforme.

8. De que modo?

adv.

9. Quanto; por quanto.

s. m.

10. O modo por que.

 

comer (ê) –

v. tr.

1. Mastigar e engolir.

2. Dissipar.

3. Lograr.

4. Defraudar.

5. Gastar.

6. Enganar.

v. intr.

7. Tomar alimento.

8. Ter comichão.

9. Causar comichão.

10. Tirar proveito.

11. Roubar.

v. pron.

12. Amofinar-se, consumir-se.

s. m.

13. Comida.

14. Alimento

 

em

prep.

Indicativa de relação de lugar (em casa), tempo (em Janeiro! janeiro), modo (em cabelo), preço (avaliado em dez centavos). (Com o gerúndio, equivale a logo que, depois que [ex.: em chegando, lá irá].)

 

sonho | s. m.
1ª pess. sing. pres. ind. de sonhar

 

sonho (ô)

s. m.

1. Conjunto de idéias e de imagens que se apresentam ao espírito durante o sono.

2. Fig. Utopia; imaginação sem fundamento; fantasia; devaneio; ilusão; felicidade; que dura pouco; esperanças vãs; idéias quiméricas.

3. Bolo muito fofo, de farinha e ovos, frito em azeite ou manteiga e passado por calda de açúcar.

 

sonhar 

v. intr.

1. Ter um sonho ou sonhos.

2. Fantasiar; devanear.

3. Ter idéia fixa.

4. Cuidar em.

5. Pensar com insistência em.

v. tr.

6. Ver em sonhos.

s. m.

7. Sonho.

 

peixe | s. m.
 

 

peixe

s. m.

1. Zool. Animal vertebrado que nasce e vive na água e que respira por guelras.

2. Fig. Mulher vistosa.

 

 

mar | s. m.
 

 

mar

s. m.

1. Massa líquida que circunda os continentes (oceano), ou os penetra (mar interior).

2. Por ext. Grande lago.

3. Fig. Abismo.

4. Imensidade.

5. Grande quantidade.

6. Lugar onde se luta.

7. Lutas, dificuldades.

8. Inquietações.

Mar de gelo: geleira.

 

que | pron. rel. | pron. interr. | conj. integr. | conj. compar. | conj. advers. | conj. cop. | adv. | pron. indef.
 

 

que

pron. rel.

1. (servindo de sujeito: O homem que me vê; de complemento direto! direto: O homem que vejo; de complemento indireto! indireto: O homem de que falo).

2. O qual, do qual.

pron. interr.

3. Que coisa: Que me quer?

conj. integr.

4. O seguinte: Digo que tem razão.

conj. compar.

5. O pai é melhor que ou do que o filho.

conj. advers.

6. Mas, porém: De mim cuidarei, que não de vós.

conj. cop.

7. E: Dá-lhe que dá-lhe.

adv.

8. Quanto, quão: Que bela noite!

pron. indef.

9. Quanto: Que de gente!
Confrontar: quê.

 

 

Sou

1ª pess. sing. pres. ind. de ser

 

ser (ê) –  
 (latim sedeo, -ere, estar sentado)

v. intr.

1. Serve para ligar o sujeito ao predicado.

2. Serve de auxiliar nos tempos compostos dos verbos passivos.

3. Exprime a existência sem esse caráter!caráter absoluto.

4. Acontecer.

5. Indica o momento, o dia, a estação, o ano, a época.

6. Exprime a realidade.

7. Acontecer, ocorrer, suceder.

8. Estar, ficar, tornar-se.

9. Consistir em.

v. auxil.

10. Usa-se seguido do particípio passado, para formar a voz passiva (ex.: foram ultrapassados, tinha sido comido, fora pensado, será espalhado, seríamos enganados).

s. m.

11. Aquilo que é, que existe, ente.

12. O ente humano.

13. Existência, vida.

14. O organismo, a pessoa física e moral.

15. Forma, figura.

Ciência do ser: ontologia.

Não poder deixar de ser: ser necessário; ter forçosamente de ser.

Não poder ser: não ser possível.

Não ser para graças: não gostar de brincadeiras; ser valente.

O Ser dos Seres: Deus.

Ser alguém: ser pessoa importante e de valia.

Ser com: proteger.

Ser dado a: ter inclinação para.

Ser da gema: ser genuíno.

Ser da mesma panelinha: estar de acordo com outras pessoas; combinar bem com elas.

Ser da pele do diabo: não lhe doerem às pancadas; ser inquieto, traquinas.

Ser de crer: ser crível; merecer fé.

Ser homem: ter grandes qualidades ou aptidões.

Ser pensante: o homem.

 

 

É

 

3ª pess. sing. pres. ind. de ser

 

ser (ê) –  
(latim sedeo, -ere, estar sentado)

v. intr.

1. Serve para ligar o sujeito ao predicado.

2. Serve de auxiliar nos tempos compostos dos verbos passivos.

3. Exprime a existência sem esse caráter!caráter absoluto.

4. Acontecer.

5. Indica o momento, o dia, a estação, o ano, a época.

6. Exprime a realidade.

7. Acontecer, ocorrer, suceder.

8. Estar, ficar, tornar-se.

9. Consistir em.

v. auxil.

10. Usa-se seguido do particípio passado, para formar a voz passiva (ex.: foram ultrapassados, tinha sido comido, fora pensado, será espalhado, seríamos enganados).

s. m.

11. Aquilo que é, que existe, ente.

12. O ente humano.

13. Existência, vida.

14. O organismo, a pessoa física e moral.

15. Forma, figura.

Ciência do ser: ontologia.

Não poder deixar de ser: ser necessário; ter forçosamente de ser.

Não poder ser: não ser possível.

Não ser para graças: não gostar de brincadeiras; ser valente.

O Ser dos Seres: Deus.

Ser alguém: ser pessoa importante e de valia.

Ser com: proteger.

Ser dado a: ter inclinação para.

Ser da gema: ser genuíno.

Ser da mesma panelinha: estar de acordo com outras pessoas; combinar bem com elas.

Ser da pele do diabo: não lhe doerem às pancadas; ser inquieto, traquinas.

Ser de crer: ser crível; merecer fé.

Ser homem: ter grandes qualidades ou aptidões.

Ser pensante: o homem.

 

 

Vejo

 

 

1ª pess. sing. pres. ind. de ver

 

ver (ê)  

v. tr.

1. Exercer o sentido da vista sobre.

2. Olhar para.

3. Presenciar, assistir a.

4. Avistar; enxergar.

5. Encontrar, achar, reconhecer.

6. Observar, notar, advertir.

7. Reparar, tomar cuidado em.

8. Imaginar, fantasiar.

9. Calcular, supor; ponderar, inferir, deduzir.

10. Prever.

11. Visitar.

12. Escolher.

13. Percorrer.

14. Provar.

15. Conhecer.

v. pron.

16. Olhar-se.

17. Encontrar-se.

s. m.

18. Parecer; juízo; opinião.

19. O ato!ato de ver.

A meu ver: em minha opinião.

Ficar a ver navios: ficar logrado.

Ver-se e desejar-se: estar muito aflito, muito embaraçado.

 

 
água | s. f. | s. f. pl.
 
     

 

água

s. f.

1. Líquido natural, transparente, incolor, geralmente insípido e inodoro, que brota da terra, e ocupa os 4/5 do Globo.

2. Lugar por onde a água corre ou se aglomera.

3. Chuva.

4. Suor.

5. Lágrimas.

6. Seiva.

7. Limpidez (das pedras preciosas).

8. Lustre, brilho.

9. Nome de vários preparados farmacêuticos.

10. Veio por onde entra água no navio.
águas

s. f. pl.

11. Sítio onde se tomam águas minerais.

12. Urina.

13. Vertentes do telhado.

14. Ondulações, reflexos.

15. Hemorragia que precede o parto.

16. Limites marítimos de uma nação

 

 

próprio | adj. | s. m.
 

 

próprio

adj.

adj.

1. Que pertence exclusivamente a alguém.

2. Em pessoa, à pessoa de.

3. Textual.

4. Exatamente!Exatamente semelhante.

5. Mais adequado; apropriado, conveniente.

6. Certo, pontual.

7. Gram. Primitivo e natural, não figurado nem translato.

s. m.

8. Qualidade peculiar, caráter!caráter próprio, sinal característico.

9. Mensageiro expresso.

10.  Relig. Diz-se de certos ofícios religiosos.

A mim próprio: à minha pessoa; a ti próprio, à tua pessoa; a si próprio, à sua pessoa, etc.

À própria: propriamente; à justa.

Mais à própria: para melhor dizer.

Os próprios nacionais: tudo o que é propriedade do Estado.

 

corpo | s. m.
 

 

corpo (ô)

s. m.

1. Tudo o que ocupa espaço e constitui unidade orgânica ou inorgânica.

2. O que constitui o ser animal (vivo ou morto).

3. Cadáver.

4. Tronco humano.

5. Parte do vestuário que cobre o tronco.

6. Parte principal ou central de certos objetos!objetos.

7. Corporação.

8. Classe de indivíduos da mesma profissão.

9. Grupo, multidão.

10. Regimento.

11. Grande divisão dum exército que opera conjuntamente.

12. Coleção!Coleção.

13. Consistência, grossura.

14. Densidade.

15. Calibre da altura dos caracteres!carateres tipográficos.

16. Fig. Contexto; base; importância.

17. Anat. Parte principal de um osso ou músculo.

Corpo da obra: texto de uma obra sem os elementos acessórios (guardas, costura, etc.).

Corpo de delito: verificação da existência dum crime e suas circunstâncias.

Documento que o descreve.

Corpo do livro: conjunto formado pelos cadernos, uma vez cosidos; miolo.

Dar de corpo: defecar.

Em corpo: sem xale ou sem capa.

Em corpo bem feito: sem agasalho.

Meio corpo: da cintura para cima.

Tomar corpo: tomar consistência, principiar a ter visos de verdade.

 

 

Simplesmente

 

derivação de simples

 

simples

adj. 2 gén. 2 núm.

adj. 2 gén. 2 núm.

1. Que não é composto.

2. Que não é complicado.

3. Sem ornatos nem enfeites.

4. De fácil interpretação.

5. Puro; claro.

6. Singelo; inocente.

7. Mero; natural.

8. Ingênuo; crédulo.

9. Vulgar.

10. Exclusivo.

11. Fácil.

12. Modesto.

13. Sem luxo.

14. Individuado.

15. Gram. Diz-se dos tempos dos verbos que se conjugam sem auxiliar.

s. 2 gén. 2 núm.

16. Pessoa simples, humilde, ignorante.

s. m. pl.

17. Pop. Cimbres.

Superl.: simplicíssimo.

 

 

 

mais | adv. | det. e pron. indef. | s. m. | s. m. pl.
 

 

mais

adv.

1. Em maior quantidade.

2. Em maior grau.

3. Outra vez.

4. Antes, melhor, preferentemente.

5. Além.

6. Ainda.

det. e pron. indef.

7. Maior quantidade.

s. m.

8. O resto, o restante.

9. Maior quantidade ou maior quantia.

10. Outra coisa.

s. m. pl.

11. Os outros.

Mais que tudo: principalmente, mormente, em primeiro lugar. (V. mais-que-tudo)

 

 

 

denso | adj.
1ª pess. sing. pres. ind. de densar

 

denso

adj.

adj.

1. Que pesa muito em relação a outros corpos de igual volume.

2. Expresso.

3. Negro.

4. Carregado.

5. Cerrado.

 

densar

v. tr.

Condensar.

 

 

minha | pron. poss. f. | s. f.
fem. sing. de meu

 

minha

pron. poss. f.

1. Flexão feminina de meu.

s. f.

2. Variedade de pêra!pera.

 

meu

det. e pron. dem.

1. De mim, pertencente à minha pessoa.
meus

s. m. pl.

2. A minha família.

 

 

alma | s. f. | s. f. pl.
 

 

alma

s. f.

1.  Relig. Parte imortal do ser humano.

2. Pessoa, indivíduo.

3. Habitante.

4. Índole.

5. Vida.

6. Consciência.

7. Espírito.

8. Fig. Agente, motor principal; o que dá força e vivacidade.

9. Essência, fundamento.

10. Entusiasmo, calor.

11. Ânimo, coragem, valor.

12. Ente querido.

13. Técn. Interior da arma de fogo.

14. Peça de madeira no interior da rabeca, por baixo do cavalete.

15. Parte bicôncava do carril entre a cabeça e a patilha.

16. Pedacinho de cabedal entre a sola e a palmilha.

17. Pedaço de sola que fortalece o enfranque do calçado.

18. Válvula do fole.

19. O vão entre o calcanhar e o joanete.

20. O vão da maçaroca, do novelo, etc.

21. Chancela ou sinete de carta.

22. Mote de divisa.

23. Peça interior do botão coberto.
almas

s. f. pl.

24. Alminhas; almas do Purgatório.

Alma de cântaro: paspalhão, estúpido.

Alma penada: a que vagueia penando pelo mundo.

Toque das almas: o último toque diário dos sinos nas pequenas localidades.

 

 

Sinto

 

 

1ª pess. sing. pres. ind. de sentir

 

sentir  

v. tr.

1. Perceber por um dos sentidos.

2. Ouvir indistintamente.

3. Perceber o que se passa em nós.

4. Estar convencido ou persuadido de.

5. Ter a consciência de.

6. Conhecer, notar, reconhecer.

7. Conjeturar!Conjeturar, supor com certos fundamentos, prever.

8. Aperceber-se de, dar fé ou notícia de.

9. Compreender, certificar-se de.

10. Adivinhar, pressagiar; pressentir.

11. Lamentar, afligir-se por.

12. Ressentir-se, melindrar-se ou ofender-se com.

13. Julgar, reputar, considerar.

14. Sofrer as conseqüências de.

15. Ressentir-se; experimentar mudança ou alteração física ou moral por causa de.

16. Conhecer por certos indícios.

17. Bel.-art. Ter o sentimento estético.

18. Ser impressionado por.

19. Saber traduzir por meio da arte.

v. intr.

20. Ter a faculdade de sentir.

21. Ter sensibilidade; ter alma sensível.

v. pron.

22. Ter a consciência de algum fenômeno ou do que se passa no interior de si mesmo.

23. Apreciar o seu estado físico ou moral.

24. Reputar-se, conhecer-se.

25. Ofender-se.

s. m.

26. Sensibilidade.

27. Sentimento.

28. Opinião, parecer.

 

 

 

penso | s. m. | adj.
1ª pess. sing. pres. ind. de pensar

 

penso
(derivado regressivo de pensar)

s. m.

1. Tratamento de comida, limpeza, etc., que se faz a crianças.

2. Tratamento de gado.

3. Tratamento de feridas. = curativo

4. Ant. Pensamento.

adj.

adj.

5. Bras. Pendido; inclinado.

Penso higiênico: faixa de material absorvente destinada a reter o fluxo menstrual ou o corrimento vaginal.

Penso rápido: pequena faixa de gaze, coberta de medicamento e de material protetor!protetor, destinada a cobrir;proteger ou manter limpa uma ferida ou sutura.

Pôr um penso: fazer um curativo.

 

pensar

v. intr.

1. Formar idéias.

2. Refletir!Refletir.

3. Raciocinar.

4. Ser de parecer.

5. Tencionar.

6. Ter no pensamento.

v. tr.

7. Imaginar, julgar.

8. Planear.

9. Dar penso a.

10. Tratar convenientemente.

11. Fazer curativo.

s. m.

12. Pensamento; opinião; juízo.

 

 

Vou

 

1ª pess. sing. pres. ind. de ir

 

ir

v. intr.

1. Passar ou ser levado de um lugar para outro.

2. Caminhar, andar.

3. Voar.

4. Dirigir-se.

5. Decorrer.

6. Freqüentar.

7. Orçar.

8. Distar.

9. Seguir; levar.

v. pron.

10. Derramar-se.

11. Partir.

12. Morrer.

13. Acabar.

14. Correr, passar.

15. Evaporar-se; desvanecer-se.

 

 

no | contr. | pron.
 

 

no

contr.

contr.

1. Contração!Contração de em o.

pron.

2. o (depois de sílaba nasal de verbos: ex.: tem-no).

 

 

SE | símb.

se | conj. | pron. pess. 2 gén. | pron. indef.

 

 

SE

símb.

Símbolo de sueste.
Confrontar: sé.

se

conj.

1. No caso de, dando-se a circunstância de.

2. Se acaso, se porventura.

pron. pess. 2 gén.

3. Sua pessoa.

pron. indef.

4. A gente, nós.

5. Alguém indefinido.

 

 

Outra

fem. sing. de outro

 

outro

det. e pron. indef.

1. Não este.

2. Diferente.

3. Mais um.

4. Seguinte.

5. Precedente.

6. Restante.
outros

pron. indef. m. pl.

7. Os alheios.

 

 

Fui

 

 
 

 

1ª pess. sing. pret. perf. ind. de ir

1ª pess. sing. pret. perf. ind. de ser

       

 

ir

v. intr.

1. Passar ou ser levado de um lugar para outro.

2. Caminhar, andar.

3. Voar.

4. Dirigir-se.

5. Decorrer.

6. Freqüentar.

7. Orçar.

8. Distar.

9. Seguir; levar.

v. pron.

10. Derramar-se.

11. Partir.

12. Morrer.

13. Acabar.

14. Correr, passar.

15. Evaporar-se; desvanecer-se.

 

ser (ê)
(latim sedeo, -ere, estar sentado)

v. intr.

1. Serve para ligar o sujeito ao predicado.

2. Serve de auxiliar nos tempos compostos dos verbos passivos.

3. Exprime a existência sem esse caráter!caráter absoluto.

4. Acontecer.

5. Indica o momento, o dia, a estação, o ano, a época.

6. Exprime a realidade.

7. Acontecer, ocorrer, suceder.

8. Estar, ficar, tornar-se.

9. Consistir em.

v. auxil.

10. Usa-se seguido do particípio passado, para formar a voz passiva (ex.: foram ultrapassados, tinha sido comido, fora pensado, será espalhado, seríamos enganados).

s. m.

11. Aquilo que é, que existe, ente.

12. O ente humano.

13. Existência, vida.

14. O organismo, a pessoa física e moral.

15. Forma, figura.

Ciência do ser: ontologia.

Não poder deixar de ser: ser necessário; ter forçosamente de ser.

Não poder ser: não ser possível.

Não ser para graças: não gostar de brincadeiras; ser valente.

O Ser dos Seres: Deus.

Ser alguém: ser pessoa importante e de valia.

Ser com: proteger.

Ser dado a: ter inclinação para.

Ser da gema: ser genuíno.

Ser da mesma panelinha: estar de acordo com outras pessoas; combinar bem com elas.

Ser da pele do diabo: não lhe doerem às pancadas; ser inquieto, traquinas.

Ser de crer: ser crível; merecer fé.

Ser homem: ter grandes qualidades ou aptidões.

Ser pensante: o homem.

 

Perdeu

 

 

3ª pess. sing. pret. perf. ind. de perder

 

perder (ê)  

v. tr.

1. Deixar de ter alguma coisa útil, proveitosa ou necessária, que se possuía, por culpa ou descuido do possuidor, ou por contingência ou desgraça.

2. Sofrer prejuízo, dano, ruína, detrimento ou diminuição em.

3. Não conseguir o que se deseja ou ama.

4. Desperdiçar, dissipar, malbaratar, menosprezar.

5. Deixar de gozar, de atender, deixar passar despercebido.

6. Descair do conceito, crédito ou estima.

7. Esquecer.

8. Causar dano ou ruína a, ou o mal ou a desgraça de.

9. Junto com alguns nomes, faltar à obrigação do que significam, ou fazer alguma coisa em contrário, como: perder o respeito, a vergonha, a educação, a cortesia, etc.

10. Tratando-se de guerra, morrer, ficar prisioneiro ou ser derrotado.

v. intr.

11. Sofrer dano, prejuízo, quebra, etc.

12. Diminuir de valor, merecimento, conceito, etc.

13. Ser vencido (em jogo, aposta, etc.).

v. pron.

14. Errar o caminho, transviar-se.

15. Não achar saída.

16. Não achar meio de remover uma dificuldade.

17. Deixar de ser ouvido ou percebido.

18. Desaparecer, sumir-se, extinguir-se, esvaecer-se.

19. Estragar-se.

20. Inutilizar-se.

21. Conturbar-se, arrebatar-se.

22. Desvairar-se, desorientar-se.

23. Confundir-se, baralhar-se.

24. Sofrer dano ou prejuízo.

25. Arruinar-se.

26. Ficar pobre ou desgraçado.

27. Entregar-se aos vícios.

28. Perverter-se.

29. Pecar.

30. Ficar desonrado.

31. Deixar-se irresistivelmente dominar por uma paixão, por um afeto!afeto veemente.

32. Ficar preocupado, absorvido.

33. Naufragar.

34. Pôr-se em risco de perder a vida.

35. Não se aproveitar de alguma coisa.

36. Cair em desuso.

 

 

mundo | s. m. | adj.
 

 

mundo

s. m.

1. O espaço com todos os seus corpos e seres.

2. Universo.

3. Conjunto dos astros a que o Sol serve de centro.

4. Globo terrestre.

5. Esfera armilar.

6. Astro; planeta.

7. Cada um dos dois grandes continentes terrestres, particularmente a América, quando chamada Novo Mundo.

8. Por ext. A gente; a humanidade.

9. A vida terrestre.

10. Classe, categoria social.

11. Sociedade.

12. Tudo o que é grande.

13. Prazeres materiais.

adj.

adj.

14. Mundificação, limpo; puros.

Mundos e fundos: grandes riquezas; grandes promessas.

O outro mundo: a vida futura.

Vir ao mundo: nascer.

Terceiro mundo: conjunto de países pobres ou subdesenvolvidos

 

 

me | pron. pess. 2 gén.
 

 

me

pron. pess. 2 gén.

A mim; para mim.

 

 

Envolve

 

3ª pess. sing. pres. ind. de envolver

2ª pess. sing. imp. de envolver

 

envolver (ê)

v. tr.

1. Meter dentro de envoltório; enrolar; enfaixar.

2. Incluir; meter (entre outros, ou como partícipe em alguma coisa).

3. Comprometer.

4. Implicar.

5. Cercar, rodear; apertar em cerco.

6. Confundir.

7. Abranger.

8. Misturar.

v. pron.

9. Tomar parte; entremeter-se.

10. Cobrir-se.

11. Misturar-se.

12. Confundir-se.

13. Embaraçar-se.

 

 
ou | conj.
 
     

 

ou
(latim aut)

conj.

1. Indica alternativa ou opcionalidade (ex.: ver um filme ou ler um livro).

2. Indica conseqüência derivada da irrealização de algo (ex.: despacha-te ou não vamos chegar a tempo).

3. Indica a confirmação de um enunciado anterior (ex.: estava com pressa ou não teria saído sem me despedir).

4. Indica explicação ou paráfrase do que foi enunciado anteriormente (ex.: o ator!ator, ou profissional do espetáculo!espetáculo).

 

 
contorno | s. m.
1ª pess. sing. pres. ind. de contornar
     

 

contorno (ô)
(derivação regressiva de contornar)

s. m.

1. Redor, circuito.

2. Periferia.

3. Linha que determina os relevos (naturais ou artísticos).

4. O bem torneado dos membros, do busto, etc.

5. Perfil.

6. Fig. Relevo, vigor, elegância (do estilo ou do discurso).

 

contornar  
(con- + tornar)

v. tr.

1. Marcar o contorno de.

2. Dar volta a.

3. Passar pela parte exterior de.

4. Arredondar (frases, períodos).

5. Fig. Querer penetrar as intenções de alguém.

6. Heráld. Contrabandar.

7. Heráld. Voltar para a parte esquerda do escudo.

 

 

seu | pron. poss. | s. m. | s. m. pl.
 

 

seu

pron. poss.

1. possessivo da 3.ª pessoa, também empregado em vez de vosso.

2. Dele; dela; deles; delas.

3. De vós: como está seu pai?

4. De si próprio: protege-o com dinheiro seu.

5. Adotado!Adotado, usado, seguido: as suas máximas.

6. Que lhe pertence: aí é o seu lugar.

7. Estimado, preferido.

8. Proveniente de si: isso não parece seu; essa não parece sua.

9. Expletivamente: o negócio tem as suas dificuldades.

s. m.

10. O que pertence a alguém: dar o seu a seu dono.

11. Posse, fortuna: não ter nada de seu.

12. Redução popular em próclise, de senhor.
seus

s. m. pl.

13. Os parentes, a família: como passam todos os seus?

14. Partidários; companheiros.

 

 
não | adv. | s. m.
 
     

 

não

adv.

1. Partícula negativa oposta à afirmativa sim.

2. De modo nenhum. (É algumas vezes partícula expletiva.)

s. m.

3. Recusa; negação

 

noite | s. f.
 

 

noite

s. f.

1. Tempo compreendido entre o crepúsculo vespertino e o matutino.

2. Noitada.

3. Fig. Escuridão; obscuridade.

4. Tristeza.

5. Morte.

6. Ignorância.

7. Época muito remota.

Das mil e uma noites: esplendoroso, deslumbrante.

Noite e dia: continuamente.

Noite eterna ou noite do túmulo: morte.

Noite velha: alta noite.

Perder a noite: passá-la sem dormir

 

nem | adv. | conj.
 

 

nem
(latim nec)

adv.

1. Partícula disjuntiva e negativa.

2. Não.

conj.

3. E não.

Nem mais nem menos: exatamente!exatamente.

Nem que: como se.

Que nem: mais do que.

 

 

dia | s. m.
 

 

dia
(latim dies, -ei)

s. m.

1. Espaço de tempo que vai desde a meia-noite até a meia-noite seguinte (dia civil).

2. Espaço de 24 horas compreendido do meio-dia até ao meio-dia seguinte (dia astronômico), ou do pôr do Sol ao pôr do Sol seguinte (dia israelita).

3. Unidade de tempo com a duração de 24 horas.

4. Espaço de tempo entre o levantar de uma pessoa e a entrada da noite.

5. Espaço de tempo em que o Sol está no horizonte.

6. Claridade do dia.

7. Circunstância ou momento oportuno. = ocasião, vez

8. Tempo atual!atual. = actualidade!atualidade, momento, presente

Andar em dia: saber o que se passa; estar atualizado!atualizado.

De dia: com luz solar, por oposição ao período noturno!noturno.

Dia cheio: dia que se passou regaladamente.

Dia útil: qualquer dia entre segunda-feira e sexta-feira, desde que não seja feriado, que constitui geralmente dia de trabalho para a maioria da população.

Estar em dia: não ter a escrituração atrasada.

Pôr-se em dia: trabalhar para estar em dia ou para estar atualizado!atualizado.

 

 

morte | s. f.
 

 

morte

s. f.

1. Ato!Ato de morrer.

2. O fim da vida.

3. Cessação da vida (animal ou vegetal).

4. Destruição.

5. Causa de ruína.

6. Termo, fim.

7. Homicídio, assassínio.

8. Pena capital.

9. Esqueleto nu ou envolto em mortalha, armado de foice, que simboliza a Morte.

De má morte: que não presta para nada.

De morte: com ódio figadal; mortalmente; que só acaba com a morte.

Morte civil: estado do que perde todos os seus direitos civis por pena infamante.

 

 
vida | s. f.
 
     

 

vida

s. f.

1. O espaço de tempo que decorre desde o nascimento até a morte dos seres.

2. Modo de viver.

3. Comportamento.

4. Alimentação e necessidade da vida.

5. Ocupação, profissão, carreira.

6. Princípio de existência, de força, de entusiasmo, de atividade!atividade (diz-se das pessoas e das coisas).

7. Fundamento, essência; causa, origem.

8. Biografia.

Vida civil: os direitos civis.

Vida eterna: vida futura, a outra vida, a existência espiritual depois da morte.

A bem-aventurança, a glória eterna.

 

 

viagem | s. f.
 

 

viagem

s. f.

1. O ato!ato de transportar-se de um ponto a outro distante.

2. Mar. Navegação, travessia.

3. Relação escrita dos acontecimentos ocorridos numa viagem e das impressões que ela nos causou.

 

 

noutro | contr.
 

 

noutro

contr.

contr.

Contração!Contração de em e outro.

 

 

mapa | s. m.
 

 

mapa

s. m.

1. Delineação convencional de qualquer extensão da superfície da Terra.

2. Lista, relação.

3. Quadro sinóptico.

 

 

volta | s. f. | s. f. pl.
3ª pess. sing. pres. ind. de voltar

2ª pess. sing. imp. de voltar

 

volta

s. f.

1. Ato!Ato de regressar a um lugar donde se partira.

2. Ato!Ato de virar ou de se virar.

3. Resposta, réplica.

4. Retorno; troco; demasia.

5. Movimento circular, giro.

6. Ato!Ato de percorrer a circunferência de.

7. Ação!Ação de volver.

8. Vicissitude.

9. Disposição diversa.

10. Curva, sinuosidade.

11. Cada uma das curvas de uma espiral.

12. Solução de uma dificuldade, interpretação.

13. Ato!Ato de se voltar ou turvar (o vinho, na vasilha).

14. Espécie de colar usado por mulheres.

15. Repercussão, reflexo.

16. Poét. Espécie de glosa em que o glosador escolhe e distribui à sua vontade as palavras do mote.

17. Tira branca de linho ou de algodão, na parte superior do cabeção dos padres, e das lentes e alunos da Universidade de Coimbra (hoje em desuso) e dos seminários.

18. Utensílio de tanoeiro para raspar o lado côncavo das aduelas.
voltas

s. f. pl.

19. Serviço de recados.

À volta de: por ou pela volta de, cerca, próximo de (falando-se do tempo).

Dar volta à chave: imprimir-lhe um movimento de rotação, para abrir ou fechar uma fechadura.

Dar volta o miolo a alguém: perder o juízo.

Dar voltas: empregar diligências para conseguir certo fim.

Dar voltas na cama: não dormir sossegado.

Dar voltas no inferno: empregar todos os meios para conseguir um fim que muito se deseja.

De volta com: de mistura.

Em volta de: em torno, em redor.

Estar de volta: ter regressado.

Estar de volta com alguém: andar em briga, em discussão, em despique com essa pessoa.

Fazer-se na volta de (alguma terra): virar de bordo para.

Furtar as voltas: mudar rapidamente de direção!direção, para não ser apanhado ou colhido.

Na volta: à volta, na ocasião ou depois do regresso.

Na volta do mar: ao sabor das ondas, das marés ocorrentes, sem vento e sem se poder seguir carreira.

Volta de honra (ou triunfal): volta olímpica.

Voltas do mundo: alternativas, da sorte.

 

voltar

v. tr.

1. Dar volta a, volver, virar; pôr do avesso.

2. Mostrar ou apresentar pelo lado ou face oposta.

3. Dar em troco.

v. intr.

4. Regressar.

5. Tornar a vir.

6. Reaparecer, tornar.

7. Replicar, responder; dar volta ou voltas; tornar a fazer.

8. Mudar de rumo.

9. Fermentar segunda vez; toldar-se, turvar-se.

10. Retroceder.

11. Reincidir.

v. pron.

12. Virar-se, apresentar a cara a quem vem ao lado ou atrás.

13. Dirigir-se, recorrer.

14. Revolver-se, virar-se; dar voltas (na cama); investir, acometer.

 

 

partida | s. f.
sing. part. pass. de partir

fem. sing. de partir

 

partida

s. f.

1. O ato!ato de partir de um lugar para outro; saída.

2. Morte.

3. Troço de gente armada.

4. Quantidade maior ou menor de mercadorias; sortimento.

5. No jogo, cada uma das mãos em que ele se divide; jogada.

6. Sarau.

7. Nota de débito ou de crédito num livro de escrituração comercial.

8. Brincadeira; pirraça.

9. Competição desportiva.

Correr as sete partidas do mundo: andar por muitas terras, viajar muito.

Escrituração por partidas dobradas: aquela em que para cada artigo se reconhece ao mesmo tempo um devedor e um credor.

Escrituração por partidas simples: aquela em que se indica apenas um credor ou um devedor.

Ponto de partida: princípio, origem.

 

partir  

v. tr.

1. Dividir em partes, separar.

2. Quebrar.

3. Repartir; distribuir.

v. intr.

4. Pôr-se a caminho, seguir viagem.

5. Ir-se embora, retirar-se.

6. Sair com ímpeto, arremessar-se.

7. Ter origem ou começo; proceder; provir.

8. Confinar.

9. Seguir, prosseguir; prolongar-se, estender-se.

v. pron.

10. Quebrar-se.

11. Dividir-se.

12. Retirar-se, sair.

13. Fugir, afastar-se.

14. Fig. Afligir-se, doer-se.

A partir de: a datar de.

Partir de um princípio: de uma doutrina, admitir um princípio ou doutrina como base dos seus argumentos.

 

partido

adj.

adj.

1. Dividido em partes.

2. Saído.

3. Heráld. Diz-se do escudo dividido perpendicularmente.

s. m.

4. União de muitas pessoas para um determinado fim; parcialidade, facção!fação, bando.

5. Rancho.

6. Expediente, recurso, resolução.

7. Trato ou convênio.

8. O território ou lugar onde o médico ou cirurgião tem obrigação de assistir.

9. Distrito ou território de alguma jurisdição ou administração.

Bom partido: proposta vantajosa.

Pop. Casamento rico.

Dar partido ao parceiro: conceder-lhe vantagens antes de começar o jogo.

Tomar o partido de: decidir-se a.

Declarar-se em favor de.

 

 

céu | s. m.
 

 

céu

s. m.

1. Ponto que a humanidade assinala para morada de Deus e dos justos.

2. A Providência. (Nestas duas acepções! aceções, grafa-se com inicial maiúscula.)

3. O infinito (no espaço).

4. Firmamento.

5. Atmosfera.

6. Clima; ar.

7. Parte superior, que serve como teto!teto, em certas coisas.

Cair do céu: chegar de improviso, mas a propósito.

Entre o céu e a terra: no ar.

Mover céu e terra: fazer todo o possível para conseguir algo.

 

 

liberdade | s. f. | s. f. pl.
 

 

liberdade

s. f.

1. Direito de proceder conforme nos pareça, contanto que esse direito não vá contra o direito de outrem.

2. Condição do homem ou da nação que goza de liberdade.

3. Conjunto das idéias liberais ou dos direitos garantidos ao cidadão.

4. Fig. Ousadia.

5. Franqueza.

6. Licença.

7. Desassombro.

8. Demasiada familiaridade.
liberdades

s. f. pl.

9. Imunidades, regalias.

 

 

por | prep.
 

 

por (u)

prep.

Designativa de várias relações; modo: por força; causa: por doença; meio: por terra ou por água; tempo: por um ano, etc.

 

 

onde | adv. | adv. interr.
 

 

onde

adv.

1. No qual lugar; no lugar em que.

adv. interr.

2. Em que lugar?

Onde quer que: em qualquer parte que.

 

 

coração | s. f.

coração | s. m.

derivação fem. sing. de corar

 

coração (ò)

s. f.

Cora.

 

coração

s. m.

1. Órgão musculoso, centro da circulação do sangue.

2. Parte exterior do corpo correspondente ao coração.

3. Fig. Sentimentos.

4. Sensibilidade, afeição, amor.

5. Consciência.

6. Coragem, valor.

7. Voz secreta.

8. Centro, parte mais central.

9. Cerne (da árvore).

10. Técn. Peça angular numa intersecção de via – férrea.

11. Bras. Varanda.

 

corar (cò)  

v. tr.

1. Dar cor a.

2. Branquear (expondo ao sol).

3. Fazer assomar a cor ao rosto.

4. Fig. Disfarçar, encobrir com falsa aparência.

5. Técn. Dar cor ao ouro.

v. intr.

6. Ruborizar-se, envergonhar-se.

 

| adv.
 

 


(latim jam)

adv.

1. Neste instante, agora.

2. De antemão.

3. Tão depressa.

Já, já: imediatamente, sem demora, no mesmo instante.

Já… já…: emprega-se como conjunção coordenativa disjuntiva, indicando alternativa (ex.:). = ora…, ora…; quer…, quer…

Já agora: já que chegamos a este ponto; como não há outro remédio.

Já que: visto que.

 

 

Sofre

 

3ª pess. sing. pres. ind. de sofrer

2ª pess. sing. imp. de sofrer

     

 

sofrer (ê)  

v. tr. e intr.

1. Suportar, padecer com resignação e paciência; tolerar.

2. Passar por.

3. Admitir.

4. Ter pesar.

v. pron.

5. Conter-se; reprimir-se; dissimular o sofrimento.

s. m.

6. Bras. Ave cujo canto imita a pronúncia do seu nome.

 

 

gerúndio de saber

 

saber (ê)  
(latim sapere, ter sabor, conhecer)

v. tr.

1. Possuir o conhecimento de.

2. Não ignorar.

3. Estar habilitado para.

v. intr.

4. Ter conhecimento.

5. Ter experiência.

6. Estar certo.

7. Ter sabor ou gosto.

v. pron.

8. Ser sabido.

s. m.

9. Conhecimentos adquiridos; ciência, ilustração.

10. Fig. Prudência; sensatez.

11. Malícia.

12. Experiência do mundo.

A saber: isto é; que é ou são; na ordem seguinte.

Sabê-la toda: tratar dos seus interesses com manha.

 

 

 

Bateu

 

3ª pess. sing. pret. perf. ind. de bater

 

bater (ê)  

v. tr.

1. Dar pancadas em.

2. Remexer.

3. Cravar.

4. Sacudir, fustigar.

5. Fig. Derrotar, vencer.

6. Atirar sobre.

v. intr.

7. Dar pancadas.

8. Chamar.

9. Vir de encontro.

10. Ir de batida.

11. Soar, palpitar.

v. pron.

12. Ter duelo ou desafio.

13. Combater de qualquer modo.

14. Gír. Comer.

s. m.

15. Ato!Ato de bater.

Bater a(s) bota(s) ou o cachimbo: morrer.

Bater à porta de alguém: socorrer ao seu valimento.

Bater a roupa: lavá-la na pedra.

Bater as asas: pairar, adejar.

Bater a sela: descansar.

Bater as palmas: chamar por alguém.

Bater em retirada: recuar, retirar-se, fugir ao combate, ceder.

Bater mato: percorrê-lo em procura de caça ou de alguém, de algum fugitivo.

Bater moeda: cunhá-la.

Bater no peito: arrepender-se.

Bras. Bater o campo: explorá-lo.

Bater o encaixe: percutir com o martelo o festo dos cadernos de um livro que se vai reencadernar!re-encadernar, para tirar a marca do primeiro encaixe.

Bater o justo: dizer a verdade.

Bater o mar: percorrê-lo em diversos rumos.

Bater o mato: andar por ele à procura de alguma coisa.

Bater o papel: alinhar pelas extremidades as pilhas de papel, batendo-as em montículos sobre a bancada, ou sujeitando-as à ação!ação de equipamentos mecânicos específicos.

Bater o pé: dar com força com o pé no chão.

Bater o pinho: tocar viola.

Bater os dentes ou o queixo: tiritar de frio ou de medo.

Bater o sujo: dizer a verdade.

Bater palmas: aplaudir

 

 

sempre | adv. | s. m.
 

 

sempre

adv.

1. Em todo o tempo.

2. A todos os momentos.

3. Todavia.

4. Realmente.

5. Afinal.

s. m.

6. Todo o tempo passado ou futuro.

 

 

vão | adj. | s. m.
3ª pess. plu. pres. ind. de ir

3ª pess. plu. imp. de ir

3ª pess. plu. pres. conj. de ir

 

vão

adj.

adj.

1. Vazio; oco.

2. Inútil, baldado.

3. Sem valor; ilusório, sem fundamento real.

4. Fútil.

5. Frívolo.

6. Vanglorioso.

7. Falso.

8. Ignorante.

9. Fantástico.

10. Ineficaz.

s. m.

11. Espaço vazio.

12. Abertura formada na parede por porta ou janela.

13. Jogo de tabuinhas ou de cortinas pertencente a uma porta ou a uma janela.

14. Bras. Norte Região clavicular; ápice do pulmão.

15. Bras. Goiás Vale, depressão entre montanhas.

Em vão: sem apoio, em falso; baldadamente, inutilmente.

 

ir  

v. intr.

1. Passar ou ser levado de um lugar para outro.

2. Caminhar, andar.

3. Voar.

4. Dirigir-se.

5. Decorrer.

6. Freqüentar.

7. Orçar.

8. Distar.

9. Seguir; levar.

v. pron.

10. Derramar-se.

11. Partir.

12. Morrer.

13. Acabar.

14. Correr, passar.

15. Evaporar-se; desvanecer-se.

 

 

Análise Literária realizada por Nilza Azzi e Dudu Oliveira.

5 comentários

  1. A poesia consiste de música e ritmo que estão dentro do autor, ainda antes de escrever, em interação com sua sensibilidade e seu senso estético, dialogando o com mundo imaginário e expressando a visão do seu ‘eu’.


    • A realização da proposta estética, parte de uma forma identificável e se aprofunda nas subjacencias do texto, onde a leitura se dá de fato e o eu – poético insinua o autor. Desde o rítmo até o que ficou sugerido se projeta para além-texto, que é a dimensão da poesia, cuja palavra é pretexto.


  2. Gostaria de saber a análise literaria do poema Irradiações de


  3. Gostaria de saber a análise literaria do poema Irradiações de


  4. Gostaria de saber a análise literaria do poema Irradiações de Cruz e Sousa.

    Por Favor!



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: